Vereador Gabriel Azevedo um defensor dos motoristas por aplicativo ou um excelente vereador ?

Warley Leite

Vereador Gabriel Azevedo

Formado em três faculdades, o jovem exímio

Vereador Gabriel Azevedo representa, muito bem a população de Belo Horizonte.

Conhecido como trator da direita, Gabriel ganhou o apoio de um movimento de motoristas por aplicativos igualmente assumidos de direita, e com envolvimento diretamente com partidos políticos e políticos de direita.

Após o apoio deste movimento para com o vereador, Azevedo começou a ser intitulado pelo movimento como defensor dos motoristas por aplicativos na Câmara Municipal junto com outros que por já não estão mais.

Sempre muito receptivo, sem deixa faltar o mínimo de atenção   ao movimento, como há qualquer outro cidadão Belo Horizontino, todos sempre foram muito bem recebidos no gabinete do vereador e passaram a ter auxilio de muito boa vontade como todos recebem por la os que assim procuram.

O vereador Gabriel Azevedo  foi quem ingressou com mandado de segurança contra a resolução da prefeitura de BH,  derrubando o  decreto nº 16.832/2018.
As justificativas argumentadas  por Gabriel seriam que o decreto assinado pelo prefeito Alexandre Kalil,  impõe regras ao funcionamento dos aplicativos, deveria ser objeto de lei da Câmara Municipal.

 “Foi determinado a necessidade prévia de autorização da BHTrans para a prestação de serviços (…) (o decreto) regulamenta uma matéria que deveria ser tratada por lei em sentido estrito, isto é, com o devido processo legislativo pela Câmara Municipal”,  assim diz  o texto do mandado impetrado pelo parlamentar.

 

Decreto nº 16.832 que regulava os aplicativos

  Em janeiro de 2018 o Prefeito Alexandre Kaliu  regulamentou os aplicativos em Belo Horizonte através do decreto nº 16.832/2018.
Na Ocasião o decreto agradava a todos, inclusive era reconhecido pelos aplicativos  como um dos mais modernos do pais, inclusive por mais incrível que pareça, ate os taxistas estavam de acordo.
O projeto não previa limitação de carros ou motoristas por aplicativos é não trazia nenhuma obrigação aos motoristas por aplicativos, a não ser o  cumprimento exclusivamente o Código de Trânsito Brasileiro.

Quais regras eram prevista no decreto para os Aplicativos?

 Os aplicativos devem ter sede (filial ou matriz) em Belo Horizonte.
– Só podem atender às chamadas feitas por plataformas digitais.
– Tarifa é definida livremente pelo aplicativo.
– A Prefeitura cobrará da empresa o chamado preço público por utilização da malha viária. Esse valor em Belo Horizonte será de 1% das corridas, o menor valor do país, e será usado pela Prefeitura de Belo Horizonte e BHTrans para a melhoria da Mobilidade Urbana na cidade.

Exigências para os carros que eram previstas.

– Precisam estar cadastrados em uma das empresas de transporte individual de passageiros e ter placa de Belo Horizonte ou região metropolitana.
– Devem ter documento de licenciamento em dia.
– Estar em dia com DPVAT e Seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros (exigência do Código de Trânsito Brasileiro).
– Podem ter a capacidade máxima de 7 passageiros.

Regras para os motoristas que o decreto rezava.

– Precisam estar cadastrados em uma das empresas de transporte individual e apresentar para a empresa a seguinte documentação:
– CNH com exercício de atividade remunerada (exigência do Código de Trânsito Brasileiro).
– Certificado de curso para prestação do serviço de transporte de passageiros, (exigência do Código de Trânsito Brasileiro) e oferecido em escolas de formação de condutores.
– Certidões negativas criminais. 

Oque ficou bom para os motoristas apos o mandato de segurança do Vereador ?

Ha única coisa que mudou para melhor para os motoristas por aplicativo, foi a proibição das corridas compartilhadas na PL/490, que diminuem as demandas por corrida e valor recebido pelos motoristas,  aumentando o desgaste do veículo e risco para a segurança.
Porem como o vereador defende a cidade e não os motoristas prometeu novamente ir a justiça para derrubar novamente a regulamentação pois, a proibição das corridas compartilhadas são inconstitucionais.

Oque piorou para o motoristas após mandato de segurança?

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Prefeito X Vereador

Antes do mesmo lado, o Prefeito é o Vereador, disputaram as eleições sendo eleitos ambos pelo PHS.
Unidos na campanha, Gabriel chega grava um vídeo na sala da casa de Kalil
Porem já algum tempo essa amizade acabou, e comum farpas trocados pelos dois. 

Que deixam algumas dúvidas.

Será que Gabriel Azevedo, descrito como vaidoso e polemico por Clarissa Carvalhaes em uma matéria exclusiva com vereador, derrubou o Decreto nº 16.832 para atingir Kalil? 

Já que todos no passado estavam de acordo até os taxistas com o decreto da regulação dos aplicativos sem nenhuma obrigação para os motoristas por aplicativos.

Por outro lado, Kalil pode ter decidido endurecer em dados momentos, as regras para os motoristas na regulamentação, em represália ao vereador que derrubou o Decreto nº 16.832 assinado pelo Prefeito, que regulava os aplicativos? acreditando que o vereador realmente fosse nosso defensor, já que alguns movimentos que atacam o Prefeito o promovem assim. É desconhecido o interesse, deste grupo de motoristas de direita extrema,  se baseando que, o mandato de segurança  do vereador somente prejudicou os motoristas por aplicativos. antes sem obrigações para os referidos, agora cheio de regras, burocracias e despesas para os mesmos.

É uma boa? pensando no Bem da classe ter Gabriel Azevedo representando os motoristas por aplicativos nas reuniões junto a BHTrans, que complementam a regulação dos Aplicativos através de portaria em Belo Horizonte, considerando que a BHTrans reponde ao Prefeito Kalil.

A Guerra particular do prefeito e vereador será saudável a construção da categoria? 

Uma vez que o motorista já sentiu na pele, a briga dos dois, sendo o único prejudicado nesta batalha, com a derrubada do Decreto. 

Vale a pena correr esse risco?   de um regulação sem regras para os motoristas por aplicativos, anteriormente através do decreto do Prefeito Kalil, que o vereador derrubou na justiça, para cairmos  na PL/490, onde boa parte dos motoristas poderia ter perdido suas funções, vários outros terão o prazo de um ano para trocar seus carros, alem de gastar com vistoria e o que mais agora for imposto como regra pela BHTrans, através das portarias se quiserem continuar desenvolvendo sua  função de motoristas por aplicativos.

Uber X Vereador

No passado funcionários da Uber, mantinha contato com o vereador, o gabinete do foi cedido para reuniões, durante as votações da PL/490 entre lideranças dos motoristas e Apps.

Porem a relação pode estar abalada, após o vereador gritar com o funcionário da Uber lhe chamando de burro e retardado em uma reunião entre vereador, Apps e lideranças dos motoristas durante a votação da PL/490 em julho de 2019.

This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Next Post

Pesquisa que circulou em grupos de motoristas por aplicativos sem credibilidade e validade é considerada irregular.

Uma pesquisa que circulou em alguns   grupos de motoristas por aplicativos de Belo horizonte semana passada, criada pelo movimento Fanma, em uma tentativa, de mudar o Vereado Léo Burgues ,escolhido pela Presidente da Câmara dos Vereadores sra Nely Aquino, para representar os motoristas por aplicativos, junto a BHtrans, foi alvo […]

Inscreva-se agora